segunda-feira, 26 de agosto de 2013

HORIZONTE

 HORIZONTE

Amanhecer
Adormeço em desespero
Em dor, em solidão,
Sinto o orvalho da manha
Pela madrugada dentro
Vagueio e vejo o horizonte
Ao longe o dia a acordar
Subo ao monte, das fragas
Das giestas, do perfume das azinheiras
Estevas, estevinhas, amieiros
Dos choupos, da agua fresca do rio
Vejo o por do sol e desejo
Que o sol brilhe dentro de mim
E pronto amanheceu meu amor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca