segunda-feira, 26 de agosto de 2013

CADEIA FECHADA

CADEIA FECHADA

Esta vida é uma cadeia fechada
De grades, de arame, paredes escuras
Sentidos de dor, abafados na solidão
De caminhos de pedras,amargas
Gritos furiosos, algemas duras
Sombrias, de magoa, liberdade escondida
Dura, vazia, corrupção passiva
Gente corrompida, comprada, vendida
Sem amor à vida e sem respeito
Sem dignidade, sem Deus, donos do mundo
Miseráveis, infelizes, incapazes de amar
A não ser eles próprios, ferozes sem sentimentos
Pisam sem dó, sem piedade
Eles são os senhores da guerra, do dinheiro
Desta vida maldita, este mundo cruel quem sofre
São sempre os mais fracos
Inocentes atirados para a boca do leão
Esta vida é uma cadeia fechada e maldita
Onde não houver pão todos ralham e ninguém tem razão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca