segunda-feira, 23 de setembro de 2013

TARDE DE OUTONO


TARDE DE OUTONO

Tarde quente de outono
Caiem as folhas
Secas desta tarde
Tarde pintada
Tão colorida
Acabou o verão
Folhas caídas pintadas e belas
Sem terem pintor
É a mão de Deus que as pinta
Nunca as vi com tanta cor.
Se é de morte ou de vida
Só Deus sabe
Não é comigo que sou uma pobre alma
Que gosta de ver
As folhas das vinhas
Das árvores nuas e despidas
Eu sei é que nunca vi tantas cores
Tanta beleza nas folhas caídas no chão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca