quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

"SURDOS DE SILÊNCIOS"

"SURDOS DE SILÊNCIOS"

Para saborearmos a morte
Temos de ver o que a vida tem para nos dar
De todos os momentos que passados juntos
Feitos de amor, sentimentos e paixão
O desejo que temos dos momentos de gemidos
Surdos feitos no silencio debaixo dos lençóis
São os melhores e nem sequer há palavras
No espaço onde tudo se ergue
Os gemidos por debaixo dos nossos corpos
Segredo que para mim que guardadas apenas
Nos teus olhos e nos meus
Ficamos abraçados numa dança
Tango ou valsa corpo a corpo
Nem sei se é animal se é humano
Ouve-se a música a gritar de gemido
És o lobo que devora-me a carne loucamente
Sem saber que o céu, a lua, as estrelas existe.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca