quinta-feira, 29 de maio de 2014

AMARRAS

 AMARRAS

Passeio contigo na praia
É noite de luar.
Abri os meus braços
Recebi-te com carinho, com emoção
Onde adormeci a minha alma.
Desci o vale encantado do teu corpo.
Com o meu corpo a arder.
Como arde a madeira seca numa fogueira.
Eu só queria ver o mar e banhar-me nos teus braços.
Para apagar este fogo, nas asas de um sonho lindo.
Vi-te delirante e nele semeei toda a minha ternura.
Os teus olhos eram ondas bravas feitas de loucura.
Rasgas-te as seivas da minha ousadia.
Extravasaste os mares de mim, cortaste todas as amarras
E incendiaste o vale dos meus desejos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.