quarta-feira, 18 de junho de 2014

"METADE UM DO OUTRO"

 "METADE UM DO OUTRO"

Somos metade um do outro
Não vivemos um sem o outro
Tu sabes tudo da minha vida, da minha alma
Da minha solidão, sou transparente
Não consigo esconder nada de ti
Tu vês a minha aura quando estou no escuro.
Na minha própria escuridão
Fechada nos meus pensamentos, no meu mundo
Tu vives no meu pensamento constantemente
E nas mais variadas formas.
Quando me fecho na minha solidão
Eu falo contigo, são é palavras silenciosas.
Que me fazem bem falar no silencio em alguns
Momentos e circunstanciadas
A tua presença enche o meu vazio e eu encontro-te sempre
Sempre no eco dos meus passos.
Sigo os trilhos que um dia gravaste
O teu nome na minha alma, no meu corpo.
Procuro-te nos versos que escrevo, nos poemas
Na saudade, no amor.
O que sentimos um pelo outro, é uma ligação muito forte
Difícil de romper.
Neles encontro-te na doçura do perfume das rosas
Nas horas incertas.
Incertas em que perco-me de mim e perdendo-me,
Encontras-me e eu encontro-te.
Estás comigo no por do sol, da manhã que nasce
Na noite que adormece
Na primavera, no verão, no inverno, no outono
Na chuva, no frio, no calor
Na tempestade do mar onde lutamos.
Gritamos na areia com as ondas da saudade
Sentimos a revolta dos sentidos furiosos de uma paixão
A nossa, a nossa meu amor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca