sexta-feira, 1 de julho de 2016

REVOLTOS E TRISTES

REVOLTOS E TRISTES

Hoje acordei com aquela sensação
De impotência, pânico incontrolável
Li algures uma forte e dura frase
(Quando te lavares por baixo pensa em mim)
Que ficou na minha memória, de alguém
Mais fodido que eu, nesta maldita, bendita vida
Frase forte como uma tempestade, onde
As minhas vísceras, parecem saltar para fora
Como se fossem estranhas ao meu corpo
Que as alberga nesta minha dura curta vida
Não quero ficar sozinha, muito menos escondida
Sou um furacão no meio da própria tempestade
Onde levo tudo a minha frente neste meu mar
Revolto de um ser imperfeito, com defeitos
Na imensidão do infinito ou do abismo
Já sabemos que solidão leva-nos para as águas
Intermináveis de mares, revoltos e tristes.╭✿

Isabel Morais Ribeiro Fonseca