segunda-feira, 19 de março de 2018

ENQUANTO 💕🌿🌸


ENQUANTO 

Enquanto sangram as rosas
O meu corpo se deleita em ti 
Irás lamber os meus lábios
Como um louco ensandecido
Como se te tivesse pertencido
Toda a minha própria existência
Virás sufocar-te no meu corpo
Limpar todos os meus prantos
Pois enquanto sangram as rosas
Nessa longa secura de morte
Tu serás a dor que me sangra
A  alma nos lençóis de linho
No prazer do fogo renascido 

Isabel Morais Ribeiro Fonseca 









sábado, 10 de março de 2018

RASGO O CÉU 💕🌿🌸



RASGO O CÉU 💕🌿🌸 Rasgo o céu entre os lençois No corpo dorido de versos Proibidos de prazer em mil Poemas que o vento tenta levar Rasgo de amor os momentos Das carícias suspiradas Sobre os íntimos lençois Sinto os teus beijos molhados Desajeitados no meu corpo aveludado Sou o que escrevo, o que sentes em ler-me Nas saudades que sinto de ti. ✿*´¨) ¸.•*¸.• ✿´¨).• ✿¨) (¸.•´(¸.•´*(.¸. •*✿ •• Isabel Morais Ribeiro Fonseca


💕🌿🌸

quinta-feira, 1 de março de 2018

NESTA NOITE 🍄🍂🍁🌂


NESTA NOITE

Nesta noite de insónia tento escrever
Mas não consigo será desatino ou não
Ânsia que me aflige nas memórias
De um passado tão presente
Onde habitam os meus fantasmas
Embriago-me nesta solidão nostálgica
Perco-me em sussurros na vastidão da mente
Regresso ao silêncio das manhãs eternas
Rasga as rochas enfurecidas pelos ventos
Atravesso montanhas, serras em fúria 
Mergulho as dores nas geladas águas deste mar
Sonho os retalhos da solidão do tempo
Das saudades dos intensos momentos vividos
Na mais profunda ilusão desta noite de insónia.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca